Exposição Fotográfica e Mostra Audiovisual do Projeto “O Sertão Vai Virar Mar” 

Despertar e sensibilizar um novo olhar, além de resgatar e valorizar a história, o trabalho, a estética, a fé e a cultura desse povo de alma forte que nunca se rende, foi o objetivo da exposição “O Sertão Vai Virar Mar”. Os 10 mil km percorridos entre o sertão e o litoral de Pernambuco resultaram em centenas de histórias norteadas pela temática "água." Todos esses contos foram eternizados em fotografias que fizeram parte da mostra audiovisual, realizada entre os dias 22 e 31 de março de 2018, no espaço cultural SinsPire, na Praça do Arsenal, no Recife Antigo. A exposição, que teve patrocínio oficial dos Correios, teve entrada gratuita.  

 

O projeto foi pensado e idealizado pela fotógrafa Patrícia Patriota, que, em expedição pelos trajetos das águas da transposição do Rio São Francisco, do sertão ao litoral, vivenciou e registrou, pelas lentes de um celular, momentos únicos em 12 regiões de desenvolvimento de Pernambuco. Além de conceber a exposição fotográfica, a curadora do projeto também editou um documentário curta-metragem, que foi apresentado durante todos os dias da exposição.

 

“A minha ideia foi de resgatar a história e cultura locais, e retratar hábitos e depoimentos da vida dos ribeirinhos e sertanejos. Além disso, exaltar os patrimônios imateriais do estado e despertar a valorização de temas socioambientais, étnicos e cidadãos.  Foi muito mais que uma exposição, mas uma troca de conhecimento. O que eu vi nesses lugares é de uma riqueza tamanha que só a foto não consegue transmitir. Por isso, pensamos em estreitar as distâncias e conectar essas culturas tão ricas trazendo esses personagens para fazer parte das atividades nesses dez dias de evento”, destacou Patrícia.

 

Recife, Serra Talhada, Garanhuns, Petrolina, Floresta e Salgueiro foram algumas das cidades percorridas por Patrícia Patriota, com o apoio da Sustentabilista e também realizadora da expedição, Patrícia Xavier (ambas sertanejas), que contribuiu fortemente estando atenta à relação dessas pessoas com os recursos naturais. “A ideia foi apresentar à sociedade os costumes que se formam em torno do maior bem da humanidade, a água. E foi por isso, inclusive, que decidimos trazer também um debate na data de lançamento, no dia da água”, ressaltou Patrícia Xavier. Além da exposição, o acervo também será transformado em livro fotográfico e site colaborativo, que farão parte de uma segunda fase. O intuito é expor a mostra por vários estados do Brasil, sendo o Recife a primeira cidade a recebe-la. 

A exposição também se destacou por ter proporcionado uma experiência sensorial ao público, por meio de peças retratadas e personagens que realizaram apresentações durante os 10 dias de exibição. “Foi uma forma de tirar o personagem da fotografia e proporcionar o contato do público com as diversas manifestações, além de corresponder a generosidade e receptividade deles com a gente”, destacou Patrícia Patriota. Os Correios, patrocinador do projeto e órgão de dimensão nacional, ampliou o processo de divulgação, valorizando Pernambuco e as riquezas culturais existentes no Estado.

A mostra ainda contou com música própria, intitulada com o mesmo nome da exposição, “O Sertão Vai Virar Mar”, do compositor, músico e sanfoneiro de Salgueiro, Kinho Callou. Ele foi um dos personagens do projeto por ser um artista que mantém viva a cultura do forró pé de serra, unindo também vários outros artistas da mesma região e de regiões vizinhas. Entre os artistas e grupos presentes durante os dias de programação, participaram o grupo de Xaxado Cabras de Lampião - de Serra Talhada, grupo de Cavalo Marinho Mirim - de Aliança, dança quilombola Mazurca - de Bezerros, Confraria do Rosário - de Floresta, Caretas - de Triunfo, entre outros. 

 

A curadoria e concepção visual da mostra foi assinada por Luciana Nunes, fundadora do espaço SinsPire. Composta por três ambientes, a exposição O Sertão Vai Virar Mar retratou, além de paisagens, a cultura, a moradia, a religiosidade, os festejos, o dia-a-dia do homem sertanejo em imagens que variaram em tamanho e dimensão, em textura e cor. “Teve foto, filme, elementos trazidos do sertão como vestimentas em couro, vassouras, potes, santos, entre outros. Enfim, o nosso desejo foi impactar o olhar e os sentidos do visitante com o experimentalismo estético que redimensiona esse povo que respira cultura”, ressaltou Luciana. 

Exposição Fotográfica e Mostra Audiovisual ‘O Sertão Vai Virar Mar’
Período de realização: de 22 a 31 de março de 2018
Local: Espaço SinsPire Cultural (Praça do Arsenal - no Bairro do Recife)
Entrada: Gratuita
Patrocínio: Correios

©Projeto O Sertão Vai Virar Mar - Todos os direitos reservados

Unknown Track - Unknown Artist
00:00 / 00:00
  • Facebook Clean